sábado, 18 de julho de 2015

Alimentar-se bem é enriquecer!

Não se trata apenas de matar a fome orgânica e fortalecer naturalmente o corpo, mas também de temperar a nossa vida e acrescentar aroma e sabor às memórias da nossa passagem pela vida de outras pessoas, revelando quanto de amor cabe nesta receita que elaboramos dia após dia.

Nas famílias indianas, a comida não é percebida simplesmente como uma necessidade de sustento físico, mas como parte de um "círculo cósmico". Basta vermos este dito popular da Índia: "a comida que o homem come e seu universo devem estar em harmonia". História, crenças e rituais estruturam a sua complexa culinária, tendo como elemento central as especiarias, com as suas centenas de combinações, chamadas "masalas".





Este pensamento em relação ao alimento está presente em muitas culturas, mas é especialmente notório na indiana. Por isso, nos próximos posts do Blog do Swadisht vamos falar um pouco sobre os elementos que compõem a culinária da Índia e, aproveitando os dias mais frios da estação, começaremos pelos temperos que aquecem corpo e alma, de dentro para fora!

Os alimentos têm naturezas diferentes, com capacidade de gerar frio ou calor no corpo humano. Por exemplo, tomate, pepino, manga, melão, melancia e menta têm o poder de esfriar o corpo e devem ser evitados nesta época. Já temperos como cúrcuma, pimentas, canela, cravo, gengibre, alho e cebola ajudam a aquecer internamente seu organismo. Também os tubérculos, como cenoura, nabo, rabanete, batata, batata-doce, inhame, cará e aipim são fundamentais nesta estação. E ainda, cacau, café e outros. Então, acompanhe os próximos posts e quando for à feira ou ao mercado, coloque um pouco de "calor" no seu carrinho!





quarta-feira, 8 de julho de 2015

Como combinar vinhos e pratos indianos

De uma maneira geral, segundo os especialistas, qualquer que seja a quantidade de pimenta no seu prato ele irá bem com um vinho frutado, pouco alcoólico e, melhor ainda, com notas adocicadas. Assim, levando isto em consideração, vamos à alguns exemplos:

Os pratos indianos mais pesados, com carne vermelha e uma quantidade moderada de pimenta, como o Rogan Gosht (carne de cordeiro cozida com especiarias, ao molho de cebolas douradas e iogurte), pedem um vinho com mais estrutura, como um bom Merlot nacional ou chileno, com taninos macios, aromas de frutas e especiarias... Um Pinot Noir chileno, remetendo à frutas maduras e doces, ou neozelandês, se você estiver atrás de algo diferente.

Já quando a carne vermelha associada à pimenta caracterizam o sabor e se juntam a massas finas, como as deliciosas Meat Samosas, normalmente servidas como entrada, pode-se imaginar um bom Syrah, com notas igualmente picantes.



Para pratos dominados pelo forte sabor do curry, e normalmente mais apimentados, é preciso ter um cuidado especial na hora de harmonizar, porque eles costumam roubar a cena. Vinhos brancos, frescos e jovens podem ser simplesmente apagados do paladar. Por exemplo, para o Murg Korma (frango cozido ao molho de curry e decorado com amêndoas) seria interessante um vinho branco de corpo aromático e boa acidez, como um Riesling alemão, ainda que alguns possam achar meio fora de moda. O mesmo vinho cai bem com os pratos apimentados que tem como base frutos do mar, como o Prawns Fish Chilli Masala (camarões e peixe ao molho picante, especiarias e masala). Outra opção interessante é buscar harmonização nas borbulhas de um bom espumante.

Os pratos que levam molhos agridoces (cujas receitas tradicionais indianas pedem frango e são menos adocicadas que as de outras culturas orientais, como a chinesa ou a tailandesa), vão bem com espumantes e Champagnes Demi Sec. É o caso do Chicken Malwani (frango elaborado com molho de coco fresco, pasta de tomate e especiarias). A partir daí, quanto mais acentuada a picância, mais podemos nos aproximar das Champagnes Brut e dos vinhos jovens e ácidos como o Riesling alemão, do qual já falamos, ou o Pino Grigio.

Se você quiser se aventurar na harmonização, a melhor dica é: siga o seu instinto e não tenha medo. Experimente! Mas, se preferir contar com uma mãozinha, no Swadisht, o mestre Gopal está sempre a postos para ajudar!

Posts relacionados:
Pimenta e vinho combinam?

Pimenta e vinho combinam?

Pimenta e vinho combinam, sim. E muito! Porém, nem todo vinho pode aventurar-se a acompanhar a culinária indiana, com sua profusão de sabores exóticos e picantes.

Com a tranquilidade de quem conhece sobre o assunto, o Sr. Gopal, gerente do restaurante Swadisht, com ampla formação e experiência na arte de harmonizar especiarias e vinhos, falou um pouco mais a respeito: "A maior dificuldade está nos pratos que além da pimenta levam fortes doses de curry, gengibre, coentro, cominho e outros temperos marcantes, pois eles podem mascarar o sabor do vinho", esclarece.

Bem, apesar da culinária da Índia ser extremamente diversificada (cada região do país tem suas características gastronômicas específicas), de uma maneira geral, ela é generosa no uso destes elementos. Principalmente a pimenta e o curry estão sempre presentes, associados à cultura indiana em todo o mundo. Também é bem marcante a presença de alguns temperos agridoces e frutas. Além de molhos a base de leite.




Certamente, um saboroso jantar indiano pode ser transformado em um momento memorável de novas experiências se o vinho for bem escolhido e estiver em harmonia com os pratos. Gopal explica que deve-se preferir vinhos acentuadamente frutados, um pouco mais doces do que se beberia normalmente. Assim, diminui-se a probabilidade do sabor parecer apagado e áspero. Mas, não há uma única regra. Tanto vinhos brancos quanto tintos podem ser harmozinados com a exuberante culinária indiana e não é algo tão difícil quanto parece.

No próximo post, algumas dicas preciosas serão reveladas, utilizando pratos do cardápio do Swadisht como exemplo. Enquanto isso, que tal aproveitar estes dias mais frios para aquecer o corpo e a alma com esta deliciosa combinação de pimenta e vinho?

Posts relacionados:
Como combinar vinhos e pratos indianos